AS SETE PLANTAS DO MAL OLHADO ! ( LAS 7 PLANTAS CONTRA EL MAL DE OJO )

As sete plantas do mau-olhado


Todos sabem que as plantas e flores embelezam os ambientes, mas, o que muita gente desconhece é que elas também transmitem energias ao ambiente, influenciando à tudo e à todos. Cada planta ou erva vibra de um modo diferente e particular, mas quando combinadas, podem aumentar seus efeitos. Exemplo disso são as famosas “sete ervas”. Conheça seus efeitos:

Arruda (Ruta graveolens): é umas das ervas mais poderosas para combater inveja e olho-gordo. A arruda já era conhecida e usada na antiga Grécia e Roma. Foi popularizada no Brasil pelas escravas na época na colonização. Quando colocada num ambiente, além de proteger, emite vibrações de prosperidade e entusiasmo. Podemos ter sempre um galho de arruda junto ao corpo para reter as energias negativas.

Das sete ervas rituais, a arruda é, ao lado do alecrim, a mais antiga. Nativa da região do Mediterrâneo, tem várias citações na Bíblia, como em Lucas (cap. 12, vers. 42) em que é tratada como moeda, servindo - junto com a hortelã - para pagar dízimo.

Diz um samba antigo: "Se eu fosse você/punha um galhinho de arruda atrás da orelha/pra não matar esse encanto/que é doce como mel de abelha/Todo mundo lhe olha,/você pega um mau-olhado...". Se veio da Europa, a arruda ganhou no Brasil esse costume de ser colocada na orelha. No tempo do Império, havia, como pode ser visto num quadro de Debret, um forte comércio de arruda no Rio de Janeiro, então capital federal. Esse uso espalhou-se pelo Brasil.

Guiné(Petiveria alliacea): em um ambiente tem o poder de criar um "campo de força" de proteção, bloqueando as energias negativas e emitindo vibrações otimistas. Atrai sorte e felicidade. Cria uma energia de bem-estar nos ambientes.

Originária da floresta amazônica, a guiné acabou sendo levada para a África, onde ganhou o nome de "planta do Congo". Os escravos, no Brasil, cedo notaram que a guiné contem um princípio venenoso, que acabaram usando em poções para enfraquecer senhores que se mostravam especialmente cruéis ou que abusavam da mulher ou das filhas dos cativos. Esse uso deu à guiné um apelido: "amansa patrão".

O veneno é muito fraquinho, de forma que, para fazer efeito, devia ser ministrado por muito tempo, o que levava a uma observação contínua do estado físico do senhor para ver se ele já estava emagrecendo, ficando amarelo, fraco, para confirmar que a poção estava funcionando direito...

Alecrim(Rosmarinus officinalis): é uma erva que tonifica as pessoas e os ambientes. É considerado também um poderoso estimulante natural, favorecendo as atividades mentais, estudos e trabalho. Favorece e fortifica o ânimo e vitalidade das pessoas. Agindo em conjunto com arruda, "segura" as energias de inveja, mau-olhado e fofocas.

Como a arruda, muito referido em textos antigos, antes até da Bíblia. Evangelhos não reconhecidos afirmam que o alecrim tem três "coincidências" com a vida de Jesus:

1. a planta só vive 33 anos, idade de Cristo;

2. sua altura máxima é também a do messias;

3. os olhos de Jesus, de um tom azul-claro, são da cor da flor do alecrim.

O botânico Marcos Furlan diz que, em sua experiência como pesquisador, nunca viu um pé de alecrim durar mais de 20 anos, já viu planta com dois metros e meio de altura e, quanto aos olhos de Cristo, nunca soube de fonte segura de que cor eles eram.

Planta aromática, o alecrim já serviu para dar sabor especial a vinhos e é uma das preferidas para produzir fumaça em defumações rituais.

Comigo-ninguém-pode(Dieffenbachia sp.): o nome da erva já diz tudo. Afasta e quebra todas as energias negativas dos ambientes. Em uso conjunto com espada de São Jorge quebra feitiços, magia e mau-olhado. Além deste superpoderes é uma planta muito bonita para qualquer ambiente.

Há mais de 100 variedades de plantas (tipo um antúrio) com esse nome. No Brasil, é a planta básica das 7 ervas; em Belém do Pará, segundo pesquisa recente, está presente em quase 50% das casas. As manchas brancas no meio das folhas são um aviso de perigo aos herbívoros: "Não me coma". 

Comigo-ninguém-pode é planta tóxica, com efeitos dolorosos caso alguém ponha na boca, não precisando nem engolir. Basta a mastigação de um pedaço para provocar imediata reação. Em pessoas alérgicas, o simples contato com a folha é suficiente para fazer mal.Particularmente perigosa em local com criança.

"É o tipo da planta para não se ter em casa", diz o professor Marcos Furlan.

Espada de São Jorge(Sansevieria trifasciata): por causa de suas folhas pontudas é facilmente associada ao poder de cortar as energias negativas, a inveja, olho-gordo, magia, etc. Alguns dizem que espanta os maus espíritos. Ao cortar as energias negativas, a erva atrai coragem e prosperidade.

Muitos até a utilizam com fins medicinais, pondo-a como escora em baixo do colchão para corrigir defeito de coluna. Embora não seja de origem africana, foi de tal modo adotada nos ritos afros que hoje é, neles, presença obrigatória. Planta rústica, dá-se bem em qualquer lugar e nos vasos vai tomando espaço, dependendo de contínuo desbaste para ser contida e não sufocar as outras.

Manjericão(Oncimum basilicum): Além do delicioso sabor que passa como tempero da cozinha italiana, o manjericão, quando exposto num ambiente, tem a propriedade de acalmar e trazer paz de espírito a todos. Ao acalmar as tensões, afastamos os pensamentos negativos e nuvens negras.

Vindas da Ásia e da Europa, há no Brasil perto de 100 variedades de manjericão, também chamado de alfavaca ou basílico. É uma planta aromática e comestível, muito valorizada em certo molho de macarrão (al pesto).

Todos os manjericões dão flores com muito néctar, o que faz a festa das abelhas.

Pimenteira(Capsicum annuum): esta planta combate as energias pesadas e ariscas. É uma planta de vibração estimulante, afrodisíaca, tonificante e atrai boas energias para o amor.

A pimenta é retoricamente o último bastião de um conjunto de sete ervas, de tal modo que, para morrer, é preciso que a mandinga seja mesmo forte. Só um mau-olhado excepcional seria assim tão nefasto para se transformar num "seca-pimenteira". Rústica e resistente, a pimenteira não é, no entanto, a última a morrer num vaso de sete. Ela tem um ciclo vital determinado e, cumprido esse tempo, ela fenece, enquanto, a seu lado, estão ainda vigorosos o alecrim, a comigo e a espada-de-são-jorge, que normalmente são as três sobreviventes de um vaso originalmente com sete mudas. Há uma grande variedade de pimentas, mas as que mais se usam num vaso 7 ervas são cumari, dedo-de-moça e pimenta-de-bode.

Receita para um vaso de 7 ervas

A herborista Silvia Bueno de Azevedo dá o passo a passo para quem quer fazer o próprio vaso. A primeira condição é reunir as sete mudinhas bem saudáveis, de preferência com o mesmo tamanho.


1. Pegar um bom vaso de barro, revestido de plástico por dentro, com um furo no fundo (para drenagem da água);

2.Cobrir esse furo com um caco de telha, para ele não entupir;

3.Pôr uma camada (de uns três centímetros) de pedregulho de pedreiro (ou pedra parecida);
4.Uma camada de areia de construção para cobrir as pedras;

5.A camada de terra que vem em seguida deve ser bastante porosa e fértil (de preferência orgânica ou com húmus de minhoca) e ter um pouco de areia para não haver compactação;

6.Colocar as mudas, que devem ficar pelo menos um dedo abaixo da borda do vaso;

7.A "arquitetura", com a posição das ervas, deve levar em conta que a comigo-ninguém-pode, bem invasiva, tende a crescer para os lados. Deve então ficar do lado oposto à espada-de-são-jorge, que também é invasiva e precisa ser sempre desbastada. Arruda vai no meio do vaso. Se a gente imaginar uma cruz atravessando o vaso, num ponto da cruz vai o comigo, no lado oposto, a espada. Na outra linha da cruz, num ponto vai o alecrim, que gosta pouco de água. No outro, o manjericão, mais favorável à umidade. A pimenta deve ficar entre o alecrim e a espada, enquanto a guiné se coloca entre a espada e o manjericão. Colocar terra só até o nível da raiz (sem encobrir o caule), regar bastante e cuidar. Um vaso de 7 ervas bem cuidado dura de um ano e meio a dois anos, e pode ir sendo renovado com substituição das mudas que vão fenecendo (como pimenta). Deixado à vontade, depois de certo tempo um vaso-7 fica só com três plantas: espada, comigo e guiné (ou alecrim). As outras desaparecem. 

Como cuidar...
No início, seu Vaso 7 Ervas vai precisar ficar num local com boa luminosidade, mas longe do sol direto. Depois de 3 ou 4 dias, você vai precisar colocá-lo num local onde possa receber cerca de 6 horas de luz solar direta diariamente. 

As regas devem ser cuidadosas: mantenha o solo sempre úmido, mas nunca encharcado. Procure regar sempre que a camada superficial estiver seca.

Para manter as plantas fortes e sadias, adube-as mensalmente, com húmus de minhoca ou com uma mistura de farinha de osso e torta de mamona.
BLOG ALDEIA DO SER/Sandra Regina
Babalorixá - Jorge Luiz Amaral

Vistas: 2929

Comentario

¡Tienes que ser miembro de CENTRO RELIGIOSO DE CANDOMBLE Y UMBANDA ASUNCIÓN PARAGUAY para agregar comentarios!

Únete a CENTRO RELIGIOSO DE CANDOMBLE Y UMBANDA ASUNCIÓN PARAGUAY

© 2014   Creada por Pai Antonio de Xango.   Con tecnología de

Insignias  |  Informar un problema  |  Términos de servicio